AUMENTA O CONSUMO DE MACARRÃO NO BRASIL

Especialistas consultados pela ABIMAPI veem potencial para ampliar o consumo per capita de macarrão no Brasil. A análise deles é de que é possível expandir de uma para mais porções na composição do cardápio do brasileiro que, em média consome 4,8 kg do alimento por ano. As estratégias para isso podem levar em consideração a popularização do macarrão integral, que permite receitas mais saudáveis e a mistura com legumes e vegetais.

O macarrão pertence a um grupo de alimentos que está na base da pirâmide alimentar brasileira. Ele faz parte dos chamados “alimentos energéticos”, que alimentam o sangue com glicose. Dando energia para o cérebro e os músculos funcionarem. Divide. portanto, espaço com pães grãos como o arroz; e tubérculos como batata e mandioca. Acontece que, diferentemente do arroz, da batata e da mandioca, por exemplo, o macarrão precisa necessariamente de um processo antes de chegar na paneis. Mesmo quando é caseiro, há uma longa jornada que o faz chegar da cozinha ao prato.

Ao longo dos últimos anos, esse processo tem ficado mais rápido e barato no Brasil e no mundo. Isso tem ajudado a popularizar novos formatos e apresentações de macarrão, como os noodles, que têm crescido mil toneladas por ano em produção nacional e, consequentemente, saltaram 50% de 2017 para 2019.

Mas, o crescimento da categoria, também pode ser explicado por uma mudança na cultura de consumo – o que deve se intensificar em 2020. Como alimento prático e nutritivo, o macarrão se tomou solução para quem teve que ficar em casa a partir de março, com a eclosão da pandemia do coronavírus no Brasil.

Essa mudança na cultura do comportamento do consumidor e a busca por alimentos mais saudáveis também podem culminar em uma maior inclusão de outra modalidade do produto: o macarrão integral. Para a nutricionista Isabela Lorizola, consultora em nutrição cia ABIMAPI, esse pode ser um dos trunfos na tentativa de aumentar a presença do produto no cardápio do brasileiro.

“Uma maneira de incluir cada vez mais o macarrão em nossa rotina é optar pela versão Integral que, além de ter os benefícios de fornecer a energia que o macarrão de farinha branca oferece, ele é rico em vitamines, minerais e Abras. O que é super importante para o controle de glicose no sangue e funcionamento do intestino”, diz ela Isabela Lorizola ainda sugere a combinação do alimento com outros que também entregam saúde, como vegetais e legumes.

“Uma maneira de incluir cada vez mais o macarrão em nossa rotina é optar pela versão Integral que, além de ter os benefícios de fornecer a energia que o macarrão de farinha branca oferece, ele é rico em vitamines, minerais e Abras. O que é super importante para o controle de glicose no sangue e funcionamento do intestino”, diz ela Isabela Lorizola.

Hoje, o consumo de macarrão no Brasil é massivo. O alimento é muito popular, está em 98,5% das casas das famílias brasileiras. A quantidade consumida, no entanto, ainda está aquém das possibilidades. São consumidos 4,8 kg por brasileiro a cada ano, isso equivale a 400 gramas por mês. O que significa quatro porções, de acordo com a contagem elaborada pela nutricionista Sonia Tucunduva Philippi, do Departamento de Nutrição da Faculdade de Saúde Pública da USP – referência usada pelo próprio Ministério da Saúde.

Em outras palavras: apesar da venda nacional de quase 1,5 milhão de toneladas em 2019, o brasileiro ainda consome uma porção de macarrão por semana. Descontadas as variações populacionais e estatísticas. O consumo médio pode chegar a duas porções por semana de, entretanto para Tathiane Frezarin. diretora de novos negócios da Kantar Woricipenel, ainda é pouco “Sempre nos questionamos sobre como comunicar para o consumidor pera que ele não fique com o estigma de que o macarrão é só macarronada de domingo, que ele pode substituir O arroz por exemplo. É possível, porque tem outros países em que o consumo per capita é altíssimo”.

Isabela concorda que a mudança de comunicação pode ampliar a presença do item na dieta nacional valendo- se da tese de que “o macarrão é considerado uma fonte de carboidrato. O carboidrato, por sua vez, é um macronutriente superimportante para fornecer energia para o nosso organismo”.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *